quarta-feira, 13 de julho de 2011

A Questão da Palavra Adorar no NT

Proskyneo na NM

É Incoerente a Tradução do Novo Mundo

ao traduzir "Proskyneo"?




A palavra grega proskunew (proskyneo, às vezes transliterada como proskuneo) tem sido utilizada em algumas ocasiões por crentes na Trindade para atacar a tradução da Bíblia publicada pelas Testemunhas de Jeová, a Tradução do Novo Mundo. Como?

Eles afirmam que a palavra grega proskyneo significa ‘adorar’, e então assinalam o fato de que a NM a traduz como ‘prestar homenagem’ sempre que se refere a Jesus (em textos como Mateus 2:11; 8:2; 9:18; 14:33; 15:25; 28:9, 17; Marcos 5:6; 15:19; Lucas 24:52; João 9:38 e Hebreus 1:6). Segundo eles, isto é uma distorção do texto original da Bíblia que evita reconhecer a Jesus como digno de ser adorado como ser divino.

Ao traduzir uma palavra, deve se levar em conta quais são os diversos significados que ela pode ter e qual deles é o mais apropriado em cada caso. Por isso, vejamos o que significa realmente a palavra grega proskyneo.

Em uma nota ao pé da página da American Standard Version com respeito a palavra proskyneo em Mateus 2:11, se indica:
“A palavra grega denota um ato de reverência, seja a uma criatura (veja-se Mat. 4:9; 18:26), ou ao Criador (veja-se Mat. 4:10)”.

Em uma nota ao pé da página da versão Weymouth’s com respeito ao mesmo versículo (Mateus 2:8, 11), podemos ler:
“[vv] 8, 11. “prestaram homenagem”, ou talvez ‘adoração’, veja-se João IX 38 n.”

O Dicionário Expositivo de Palavras do Novo Testamento de Vine diz sob a palavra:

“1. PROSKUNEO..., prestar homenagem, fazer reverência a (de pros, em direção à, e kuneo, beijar), é a palavra mais freqüente traduzida como adorar”.

O dicionário Strong diz:

“Proskuneo: Provém de pros e provavelmente um derivado de kuon (com o significado de beijar, como um cachorro lambendo a mão de seu dono); adular ou agachar-se perante, ou seja, (literalmente ou figurativamente) prostrar-se em homenagem (fazer reverência a, venerar); adorar”.

O manual Greek Lexicon of the New Testament, de G. Abbott-Smith, 3ª edição, página 386, diz:
“[pros-kuneo]: (de kuneo, beijar) prestar homenagem, fazer reverência, adorar”.

A Greek-English Lexicon of the New Testament and Other Early Christian Literature, de William F. Arndt e F. Wilbur Gingrich, 1957, diz nas páginas 723, 724, sob proskuneo:
“Se usava para designar o costume de prostrar-se diante de uma pessoa e beijar-lhe os pés, a orla da veste, ou beijar a terra. [...] (cair) adorar, prestar homenagem a, prostrar-se ante, fazer reverência a, dar boas-vindas respeitosamente”.

Por último, The New Thayer’s Greek-Lexicon of the New Testament, de Joseph Henry Thayer, página 548, diz:
“[Proskuneo]… cair sobre os joelhos e tocar a terra com a testa como expressão de profunda reverência. [...], portanto, no N.T., ajoelhar-se ou prostrar-se para prestar homenagem (a alguém) ou fazer reverência, para expressar respeito ou fazer súplicas”.

Com respeito a Marcos 5:6, Ralph Earle em sua obra Word Meanings In The New Testament (página 37, Hendrickson Publishers, 4ª impressão, junho de 2000), escreve:
“‘Adorou’ É certo que proskyneo (...) significa ‘prestar homenagem, fazer reverência à, adorar’. Permanece a pergunta pertinente: Estaria o homem possuído por demônios adorando a Jesus, apesar de que o chamou de “filho do Deus Altíssimo” (NASB, NIV, RSV)? Provavelmente “caiu de joelhos diante dele” (NIV) é uma tradução mais segura”.

Todas estas citações devem ser suficientes para mostrar sem a menor dúvida que “prestar homenagem” é uma tradução aceitável para proskyneo. Não há nada na palavra em si mesma, quando se utiliza com respeito a Jesus, que signifique a adoração deste como Deus Todo-poderoso. Ainda mais, é o contexto o que deve determinar que espécie de proskyneo é o que se está traduzindo.

Vejamos alguns exemplos desta palavra na Bíblia e como a vertem diferentes traduções segundo o contexto.

Mateus 2:11, segundo a versão Almeida, diz:

“E, entrando na casa, (os magos) acharam o menino com Maria sua mãe e, prostrando-se, o adoraram [grego: proskyneo]”.

Contudo, a versão A Bíblia Sagrada Edição Pastoral traduz este versículo assim:

“... Ajoelharam-se (os magos) diante dele, e lhe prestaram homenagem”.

Prestaram os magos proskyneo ao bebê Jesus como a alguém nascido como rei, ou como Deus Todo-poderoso? Certamente, foi a primeira opção, por isso a forma de traduzi-la da versão Edição Pastoral é correta.

A palavra em Mateus 2:11 tem o mesmo sentido que a “adoração” ou “homenagem” que Abraão fez aos cananeus (Gênesis 23:7, 12), ou que Jacó fez a seu irmão Esaú (Gênesis 33:3, 6, 7) e o rei Nabucodonosor a Daniel (Daniel 2:46). De fato, a Septuaginta grega utiliza a palavra proskyneo em todos estes textos (curiosamente, a Vulgata Latina, traduzida a partir da Septuaginta, usa o verbo adorare nestes versículos). Veja-se a versão Figueiredo (Fi).

Outro exemplo é Marcos 5:6 onde, com respeito ao homem possuído por demônios, diz:

“E, quando viu Jesus ao longe, correu e adorou-o [proskyneo]”. (Al)

Estavam os demônios que possuíam a este homem adorando a Jesus? Evidentemente não, por isso outras versões o traduzem assim:

“Ele viu Jesus de longe, correu, caiu de joelhos [proskyneo] diante dele”. (A Bíblia na Linguagem de Hoje, SBB, 1975)

“Quando Jesus ainda estava longe, na água, o homem O viu e correu ao seu encontro, prostrando-se [proskyneo] diante dEle”.
(O Mais Importante É O Amor, baseada na versão “The Living Bible”, 1985)

Vejamos ainda outro exemplo. Em Revelação (Apocalipse) 3:9, Jesus diz, segundo a versão Almeida:

“Eis que eu farei aos da sinagoga de Satanás, aos que se dizem judeus, e näo são, mas mentem: eis que eu farei que venham, e adorem prostrados [proskyneo] a teus pés, e saibam que eu te amo”.

Estava se contradizendo Jesus, haja vista que antes (em Mateus 4:10) havia dito que somente Deus deve ser adorado? Claro que não! É tão somente que proskyneo, como já se tem mostrado, pode ter o sentido de prostrar-se diante de um superior, ou mostrar-lhe honra e respeito. Por isso, outras versões traduzem este versículo assim:

“Veja o que farei com aqueles que são sinagoga de Satanás e que se dizem judeus e não são, mas são mentirosos. Farei que se prostrem [proskyneo] aos seus pés e reconheçam que eu o amei”.
(Nova Versão Internacional, edição 2002)

“Sei que existem por aí alguns que se dizem judeus; são mentirosos, da sinagoga de Satanás. Vou entregá-los a você. Eles vão ter que ajoelhar [proskyneo] aos seus pés e reconhecer que eu amo você”.
(Edição Pastoral, 1997)

“Note isto: Eu obrigarei todos aqueles que sustentam as causas de Satanás enquanto afirmam que são meus (porém não são – eles estão mentindo) a caírem [proskyneo] aos seus pés e reconhecerem que é você aquele que eu amo”.
(O Mais Importante é o Amor, 1985)

“Eis que farei que alguns da synagoga de Satanaz, que dizem ser judeus, e não o são, mas mentem, eis que farei que venham prostrar-se [proskyneo] aos teus pés e conheçam que eu te amei”. (Novo Testamento, Traducção Brazileira, SBU)

Portanto, chegando a este ponto, deveríamos ser capazes de ver que não necessariamente é incoerente traduzir proskyneo em ocasiões como ‘prestar homenagem’ e em outras ocasiões como ‘adorar’, pois isto depende do contexto.

Se se usa a palavra portuguesa ‘adorar’ com respeito a Jesus, isso poderia levar o leitor da Bíblia a considerá-lo uma ‘prova’ de que Jesus é o Deus Todo-poderoso, pois somente Ele pode ser ‘adorado’. Poderia chegar a interpretar a palavra ‘adorar’ referida a Jesus segundo a definição, por exemplo, do Dicionário da Editora Universal:
“Prestar culto (serviço sagrado) à divindade”

Claro que isso iria claramente entrar em contradição às palavras do próprio Cristo em Mateus 4:10. Portanto, se um tradutor optar por traduzir sempre a palavra proskyneo como ‘adorar’, isso não seria em si mesmo uma prova de que Jesus seja o Deus Todo-poderoso. A palavra grega em si não mostra isto. Portanto, a teologia do tradutor influirá na forma que se verta em português a palavra proskyneo.

Alguns objetariam a postura da Tradução do Novo Mundo neste aspecto porque crêem que Jesus seja o Deus Todo-poderoso. Mas primeiro se há de admitir que a palavra proskyneo pode ser traduzida da maneira que o faz a referida tradução e de fato, outras versões que também o fazem em diversos textos, conforme vimos. Portanto, é totalmente incorreto considerá-la como uma distorsão ou uma tergiversação da parte da NM.

Tendo deixado isto estabelecido, agora podemos perguntar: Por que a NM tem optado por traduzir esta palavra como ‘prestar homenagem’ quando se usa com referência a Jesus?

Deixemos que responda o número de 1° de julho de 1971 de A Sentinela, que diz em parte:

“A palavra grega traduzida “adorar” em Hebreus 1:6 é proskynéo. Esta palavra grega é também usada em Salmo 97:7, na Versão dos Setenta, traduzindo a palavra hebraica shahháh. Qual é o sentido destes termos hebraico e grego?
Shahháh significa basicamente “curvar(-se)”. (Pro. 12:25) Curvar-se assim pode ser um ato de respeito para com outro homem, tal como um rei (1 Sam. 24:8; 2 Sam. 24:20) ou um profeta. (2 Reis 2:15) Abraão se curvou diante dos filhos cananeus de Hete, dos quais procurava comprar uma sepultura. (Gen. 23:7) A bênção de Isaque a Jacó exigia que grupos nacionais e os próprios “irmãos” de Jacó se curvassem diante dele. — Gen. 27:29; compare isso com 49:8.
Os exemplos citados tornam claro que este termo hebraico, em si mesmo, não tem necessariamente um sentido religioso ou significa adoração. Não obstante, num grande número de casos é usado com relação à adoração, quer do verdadeiro Deus (Êxo. 24:1; Sal. 95:6), quer de deuses falsos. — Deu. 4:19; 8:19.
Curvar-se diante de homens como ato de respeito era admissível, mas curvar-se diante de qualquer outro, além de Jeová, como deidade, era proibido por Deus. (Êxo. 23:24; 34:14) De modo similar, curvar-se em adoração diante de imagens religiosas ou diante de qualquer coisa criada era positivamente condenado. (Êxo. 20:4, 5; Lev. 26:1; Deu. 4:15-19) Assim, nas Escrituras Hebraicas, quando certos dos servos de Jeová se prostraram diante de anjos, fizeram isso apenas em reconhecimento de que estes eram representantes de Deus, não lhes prestando homenagem como deidades. — Jos. 5:13-15; Gen. 18:1-3.
O grego proskynéo corresponde de perto ao hebraico shahháh no sentido de prestar homenagem a criaturas e também no de adorar a Deus ou uma deidade. Embora a maneira da expressão da homenagem talvez não se destaque tanto em proskynéo como em shahháh, termo hebraico que transmite vividamente a idéia de se prostrar ou curvar, alguns lexicógrafos sugerem que o termo grego decididamente tinha originalmente este sentido.
Como no caso do termo hebraico, é preciso tomar em consideração o contexto para se saber se proskynéo se refere a prestar homenagem apenas na forma de profundo respeito ou a prestar homenagem na forma de adoração religiosa. Quando a referência é diretamente a Deus (João 4:20-24; 1 Cor. 14:25) ou a um deus falso e seus ídolos (Atos 7:43; Rev. 9:20), é evidente que a prestação de homenagem vai além da que se presta aceitável ou costumeiramente a homens, e invade o campo da adoração. Do mesmo modo, também, quando não se menciona o objeto da prestação de homenagem, subentende-se que ela se dirige a Deus. (João 12:20; Atos 8:27; Heb. 11:21) Por outro lado, a ação dos da “sinagoga de Satanás”, induzidos a “vir e prestar homenagem” diante dos pés dos cristãos, claramente não é adoração. — Rev. 3:9.
A prestação de homenagem a um rei humano é encontrada na ilustração de Jesus em Mateus 18:26. É também evidente que foi esta espécie de prestação de homenagem que os astrólogos fizeram ao menino Jesus, “que nasceu rei dos judeus”, e que também Herodes professava querer prestar, e que os soldados prestaram zombeteiramente a Jesus antes de o pendurarem num madeiro. É evidente que não consideravam Jesus como Deus ou deidade. — Mat. 2:2, 8; Mar. 15:19.
Embora alguns tradutores usem a palavra “adorar” na maioria dos casos em que proskynéo descreve as ações das pessoas para com Jesus, a evidência não admite que se dê significado demais nesta maneira de tradução. Antes, as circunstâncias que provocavam a prestação de homenagem correspondiam de perto às que resultavam na prestação de homenagem aos profetas e reis anteriores. (Compare Mateus 8:2; 9:18; 15:25; 20:20 com 1 Samuel 25:23, 24; 2 Samuel 14:4-7; 1 Reis 1:16; 2 Reis 4:36, 37.) As próprias expressões dos envolvidos muitas vezes revelam que, embora reconhecessem claramente a Jesus como representante de Deus, não lhe prestavam homenagem como sendo Deus ou uma deidade, mas como sendo “Filho de Deus”, o predito “Filho do homem”, o Messias com autoridade divina. — Mat. 14:32, 33; 28:5-10, 16-18; Luc. 24:50-52; João 9:35, 38.
Embora profetas anteriores e também anjos aceitassem homenagem, Pedro impediu que Cornélio prestasse essa a ele. E o anjo (ou os anjos) da visão de João impediu João duas vezes de fazer isso, referindo-se a si mesmo como “co-escravo” e concluindo com a exortação de ‘adorar a Deus’. — Atos 10:25, 26; Rev. 19:10; 22:8, 9.
Evidentemente, a vinda de Cristo havia introduzido novas relações que afetavam as normas de conduta para com outros servos de Deus. Ele ensinou aos seus discípulos que ‘um só é o vosso instrutor, ao passo que todos vós sois irmãos . . . o vosso Líder é um só, o Cristo”. (Mat. 23:8-12) Pois era nele que achavam cumprimento as figuras e os tipos proféticos, assim como o anjo dissera a João, que “dar-se testemunho de Jesus é o que inspira o profetizar”. (Rev. 19:10) Jesus era o Senhor de Davi, maior que Salomão e o profeta maior do que Moisés. (Luc. 20:41-43; Mat. 12:42; Atos 3:19-24) A homenagem prestada àqueles homens prefigurava a que se devia a Cristo. Portanto, Pedro recusou corretamente que Cornélio lhe desse importância demais.
Assim também João, por ter sido declarado justo ou sido justificado por Deus como cristão ungido, chamado para ser filho celestial de Deus e membro do reino de seu Filho, achava-se numa relação diferente com o(s) anjo(s) da revelação do que os israelitas a quem haviam anteriormente aparecido anjos. Conforme escreveu o apóstolo Paulo: “Não sabeis que havemos de julgar anjos?” (1 Cor. 6:3) Os anjos evidentemente reconheceram esta mudança de relação quando rejeitaram a homenagem de João.
Por outro lado, Cristo Jesus tem sido enaltecido pelo seu Pai a uma posição só inferior a de Deus, de modo que, “no nome de Jesus, se dobre todo joelho dos no céu, e dos na terra, e dos debaixo do chão, e toda língua reconheça abertamente que Jesus Cristo é Senhor, para a glória de Deus, o Pai”. — Fil. 2:9-11; compare isso com Daniel 7:13, 14, 27.
Em vista de tudo isso, como devemos compreender Hebreus 1:6, que mostra que até mesmo os anjos ‘adoram’ o ressuscitado Jesus, Cristo? Embora muitas traduções deste texto vertam proskynéo por ‘adorar’, algumas a traduzem por expressões tais como “curvar-se diante de” (The Bible — An American Translation) e “prestar homenagem” (The New English Bible). Não importa qual o termo usado, o grego original permanece o mesmo, e a compreensão do que os anjos prestam a Cristo precisa estar de acordo com as demais partes das Escrituras.
Caso se prefira a tradução “adorar”, então se precisa compreender que tal ‘adoração’ é apenas relativa. Pois o próprio Jesus declarou enfaticamente a Satanás que “é a Jeová, teu Deus, que tens de adorar [uma forma de proskynéo] e é somente a ele que tens de prestar serviço sagrado”. (Mat. 4:8-10; Luc. 4:7, 8) É verdade que o Salmo 97, que o apóstolo evidentemente cita em Hebreus 1:6, se refere a Jeová Deus como sendo aquele diante de quem ‘se curvar’, e, no entanto, este texto foi aplicado a Cristo Jesus. (Sal. 97:1, 7) Todavia, o apóstolo havia mostrado anteriormente que o ressuscitado Cristo se tornou “o reflexo da . . . glória [de Deus] e a representação exata do seu próprio ser”. (Heb. 1:1-3) Portanto, se aquilo que compreendemos como ‘adoração’ é aparentemente dirigido ao Filho, por parte dos anjos, é na realidade dirigido por meio dele a Jeová Deus, o Regente Soberano, “Aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas”. — Rev. 14:7; 4:10, 11; 7:11, 12; 11:16, 17; compare isso com 1 Crônicas 29:20; Revelação 5:13, 14.
Por outro lado, as traduções “curvar-se diante de” e “prestar homenagem” (em vez de “adorar”) de modo algum estão em desacordo com a língua original, quer o hebraico do Salmo 97:7, quer o grego de Hebreus 1:6, pois tais traduções transmitem o sentido básico tanto de shahháh como de proskynéo.”


Depois de se considerar toda esta informação, é fácil ver a pouca consistência das acusações como a que segue, de um crítico católico de língua inglesa:

“A questão é que as Bíblias legítimas usam a palavra [proskyneo] de forma coerente e permitem que o leitor interprete seu sentido, que pode ser nosso uso tradicional moderno da palavra, ‘adoração’, ou simplesmente ‘homenagem’. O que quero dizer é que a Tradução do Novo Mundo não deveria impor sua teologia dividindo ‘proskuneo’ entre homenagem e adoração, um para aplicar a Jesus e a outras criaturas e o outro a Deus. Traduzamos a palavra grega coerentemente e depois tratemos de explicar passagens que pareçam contradizer nossa interpretação. A Watchtower faz justamente o contrário. Impõe sua teologia sobre ‘proskuneo’ para lançar a ‘dificuldade’ fora da interpretação. Para mim, isso é uma abominação”.

O mesmo fez estas declarações após citar a Bíblia de Jerusalém em passagens de Mateus onde se usa proskyneo com respeito a Jesus. Mas se este cavalheiro tivesse levado em conta que a Bíblia de Jerusalém nem sempre traduz a palavra grega da mesma maneira (como se tem mostrado acima), talvez haveria suavizado seus comentários sobre a “Watchtower” e a NM. Igualmente, a tradução católica chamada New American Bible (1986, em inglês) não é tão ‘coerente’ como provavelmente ele haveria gostado. Ainda que a New American Bible traduza proskyneo como ‘homenagem’ em Mateus 2:2, 8, 11; 8:2; 9:18; 14:33; 15:25; 18:26; 20:20; 28:9 não faz o mesmo em Mateus 28:17. Consideraria este crítico a esta tradução como “uma abominação” por não ser “coerente” com outros lugares em que traduz a palavra como ‘homenagem’? A Revised English Bible tem feito exatamente o mesmo. Outra tradução da Bíblia que tampouco seja ‘coerente’ em Mateus 28:17 porque traduz proskyneo de forma diferente aos outros lugares citados mais acima? Veja-se também a tradução de Barclay. Mas voltando a New American Bible, se notarmos como se tem traduzido proskyneo em Marcos 5:6; Lucas 24:52 e João 9:38 vemos que não chega ao nível de coerência deste crítico, pois nos textos de Marcos e Lucas se traduz “prostrated” (prostrou-se) e “homage” (homenagem) respectivamente, ainda que em João 9:38 se traduz como “worship” (adoração). De modo que quando o crítico diz: “A questão é que as Bíblias legítimas usam a palavra [proskyneo] de forma coerente e permitem que o leitor interprete seu sentido”, está com isto acusando a New American Bible católica de não ser “legítima”? Pensa da New American Bible o mesmo que da Tradução do Novo Mundo: “Para mim, isto é uma abominação”?

Entretanto, a New American Bible tem o nihil obstat e imprimatur (licença para imprimir) da Igreja Católica. Não tem chamado “abominação” ao mesmo que sua própria Igreja Católica tem considerado uma fiel tradução das Escrituras Sagradas?

Portanto, traduzir proskyneo em algumas ocasiões como “prestar homenagem” é perfeitamente correto. Escolher uma outra forma de traduzi-la depende das crenças religiosas que o tradutor aceite como corretas, pelo que nenhuma das opções pode ser tachada de tergiversação.

_________________
Por Centurião

Nenhum comentário:

Postar um comentário