quarta-feira, 21 de setembro de 2011

ANTES QUE ABRAÃO EXISTISSE EU SOU. Exegese.

1. (João 8:58) - Disse-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que antes que Abraão existisse, eu sou.

Há de se analisar primeiro nesta declaração de Jesus a que circunstância se deu esta declaração. Como? Basta lermos os versos do capítulo e buscarmos a linha de desenvolvimento da conversa de Jesus com os sacerdotes e judeus e as referências históricas e Biblicas que justificavam esta conversa, ou seja, o ambiente cognitivo que os cercavam, bem diferente do ambiente helenizado e pagão que hoje permeia os religiosos.{ explicar o correto e verdadeiro é bem mais dificil e custoso do que simplesmente perpetuar um entendimento tradicional que recebemos de nossos berços como é o caso da crença da encarnação do "Verbo", crença tal aceita por mais de 95% dos chamados cristãos católicos e reformadores saidos do Romanismo.}

Contextualizando a declaração:

Quais as circunstância do diálogo mantido entre Jesus e aquele judeus no capitulo 8 de João?

Resposta: Primeiramente eles desafiaram Jesus Cristo trazendo-lhe uma mulher que havia sido pega em pleno ato de adultério.

João 8
1 Mas Jesus foi para o Monte das Oliveiras.
2 Pela manhã cedo voltou ao templo, e todo o povo vinha ter com ele; e Jesus, sentando-se o ensinava.
3 Então os escribas e fariseus trouxeram-lhe uma mulher apanhada em adultério; e pondo-a no meio,
4 disseram-lhe: Mestre, esta mulher foi apanhada em flagrante adultério.

Eles desafiaram Jesus com uma Pergunta por julgarem que ele como Mestre e alguém que se dizia o ENVIADO ou UNGIDO, pois ensinava no pátio do templo e dava testemunho sempre disto no seu ministerio, então eles fazem a seguinte pergunta:


5 Ora, Moisés nos ordena na lei que as tais sejam apedrejadas. Tu, pois, que dizes?
6 Isto diziam eles, tentando-o, para terem de que o acusar. Jesus, porém, inclinando-se, começou a escrever no chão com o dedo.

Eles estavam testando Jesus. Jesus se saiu muito bem no teste, eles ficam mais desafiados ainda, agora passam buscar alguma contradição em tudo que Jesus fala, digamos que buscando a amplificar qualquer coisa no sentido de ter o que acusar. Voce alguma vez já esteve diante da situação em que pessoas insufladas de ódio contra voce tentam buscar em suas palavras qualquer coisa para te acusar? Sabe como funciona a mente de pessoas assim? Elas vêm coisas aonde não existem e aumentam e distorcem qualquer palavra dando-lhe sentidos diferentes. É uma situação dificil quando estamos diante de pessoas que nos odeiam buscando lançar ciladas. { Até aqui não precisamos de muito mais argumento para entender a esfera de armadilha daquele momento que envolvia Jesus com seus inimigos}

Jesus continua a dar testemunho de sua obra, este testemunho se resume como ENVIADO de DEUS ( O UNGIDO ou SILÓ o prometido). A conversa gira em torno deste testemunho, onde Jesus procura persuadir aqueles que lhe ouviam que ele era o o messias ( EU SOU), esta mesma circunstância havia acontecido em sua própria cidade de Nazaré ao ler o trecho de Isaias 61 em uma sinagoga e ali declarar-se o Messias, estes fatos já era de amplo conhecimento de todos os judeus pois a fama de Jesus em todo Israel era grande e conhecida :


12 Então Jesus tornou a falar-lhes, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue de modo algum andará em trevas, mas terá a luz da vida.
13 Disseram-lhe, pois, os fariseus: Tu dás testemunho de ti mesmo; o teu testemunho não é verdadeiro.

NOTA: Os judeus estão decididos a não aceitar nada de Jesus Cristo como verdadeiro, isso já é uma posição pré-concebida. { quando estamos cheios de idéias pré-concebidas e que por tradição recebemos de nossos pais, ficamos com uma penumbra sobre nós e não podemos ver a luz da verdade que esta nos sendo passada, somente quando despojados deste estado espiritual que podemos ver a verdade e a luz, assim era o caso destes judeus, este era o ambiente cognitivo deles durante este episódio}

Não encontramos nenhum lugar da Biblia Jesus tentando defender uma pré-existencia sua diante dos judeus, todos os testemunhos de Jesus Cristo é de persuadí-los que ele era de fato o Messias o Prometido que eles tanto aguardavam. Acredito que dispensa citações biblicas uma a uma para demonstrar isso, porém trataremos cada caso de citações onde os judeus tentam por uma questão conviniente acusá-lo de Blasfemia por ser fazer igual a Deus ou dizer que era pré-existente. Esses episódios ocorrem mais no Evangelho de João porque os judeus estavam interessado em distorcer qualquer declaração de Jesus e amplificá-la para ter que acusá-lo de Blasfemo. Jesus mesmo defende-se e cita as escrituras como base a suas afirmações de Filho de Deus { estado adquirido em seu nascimento pela concepção de sua mãe pelo espirito santo}.


Finalmente Jesus então diz sobre a Abraão o Patriarca que pela fé aguardava a vinda do Messias o Prometido, sendo de igual modo passado aos seus descendentes esta esperança como o Caso de Jacó seu neto:

Genesis 49:
10 O cetro não se arredará de Judá, nem o bastão de autoridade dentre seus pés, até que venha AQUELE ( Siló ) a quem pertence; e a ele obedecerão os povos.

Abraão contemplou esta esperança que já remontava desde o ÉDEN, aquele descendente de Mulher que pisaria a cabeça da serpente ( Gen 3:15). No dia de oferecer Isaque seu unico Filho, ele mesmo disse que o Senhor proverá o cordeiro para Si, e vendo pela fé o MESSIAS prometido. Esta fé de um príncipe descendente de Abraão da tribo de Judá sempre esteve com Israel, sobre isso Jesus se referia aos judeus opositores ao que lhe leva então confirmar diante deles este testemunho. Por esta causa Jesus então lhes diz:

João 8:
41 Vós fazeis as obras de vosso pai. Replicaram-lhe eles: Nós não somos nascidos de prostituição; temos um Pai, que é Deus.
42
Respondeu-lhes Jesus: Se Deus fosse o vosso Pai, vós me amaríeis, porque eu saí e vim de Deus; pois não vim de mim mesmo, mas ele me enviou.
43 Por que não compreendeis a minha linguagem? é porque não podeis ouvir a minha palavra.

NOTA: Jesus procura falar a linguagem deles, que era o enviado o prometido do Deus de Israel, o MESSIAS. Porém eles não aceitam de forma nenhuma, como dissemos, eles estavam já determinados a condenar Jesus e não aceitar nada que pudesse vir dele.

Jesus então continua explicando:


51 Em verdade, em verdade vos digo que, se alguém guardar a minha palavra, nunca verá a morte.
52
Disseram-lhe os judeus: Agora sabemos que tens demônios. Abraão morreu, e também os profetas; e tu dizes: Se alguém guardar a minha palavra, nunca provará a morte!
53 Porventura és tu maior do que nosso pai Abraão, que morreu? Também os profetas morreram; quem pretendes tu ser?

NOTA: Eles continuam rejeitando e distorcendo o que Jesus falava. Jesus estava falando da ressurreição da vida, eles porem estavam entendendo que lhes falava que ele era imortal, pois sendo assim, somente Deus é imortal, teriam do que acusá-lo de blasfêmia. Veja nesta passagem que Jesus declara aos que lhe ouvem, que se alguém ouvir a minha palavra nunca verá a morte, eles porém distorcem para outro sentido, dizendo que ele estaria declarando imortalidade e uma pre-existência. Não foi absolutamente isso que Jesus quis dizer, ele estava buscando convencê-los de que era o Cristo o Enviado de Deus o prometido aos profetas e Patriarcas por Deus Pai.


O Episódio continua com o desfecho:

54 Respondeu Jesus: Se eu me glorificar a mim mesmo, a minha glória não é nada; quem me glorifica é meu Pai, do qual vós dizeis que é o vosso Deus;
55 e vós não o conheceis; mas eu o conheço; e se disser que não o conheço, serei mentiroso como vós; mas eu o conheço, e guardo a sua palavra.
56 Abraão, vosso pai, exultou por ver o meu dia; viu-o, e alegrou-se.
57 Disseram-lhe, pois, os judeus: Ainda não tens cinqüenta anos, e viste Abraão?
58 Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que antes que Abraão existisse, eu sou.
59 Então pegaram em pedras para lhe atirarem; mas Jesus ocultou-se, e saiu do templo.

Observação: Jesus declara-se que é aquele quem Abraão e os profetas falaram e se declara como o MESSSIAS: EU SOU. Porém na mente daqueles judeus lhes era melhor entender que se fazia igual a Deus para justificar o apedrejamento por blasfêmia. Aceitar o testemunho de Jesus de que ele é o Messias o prometido é entender sem amplificar e nem atribuir as palavras de Jesus a conotação blasfema que os Judeus tentavam acusar de se fazer igual a DEUS. Porem utilizar esta passagem isolada do verso 58 ( Antes de Abraão existisse eu sou) para atribuir uma pré-existência de Jesus Como Filho que veio a encarnar-se aqui, é justamente aceitar o testemunho dos inimigos de Cristo que O queriam colocar em uma situação de Blasfêmia. O Apóstolo Paulo em sua epístola pastoral aos Romanos Capitulo 1 dos versos 1 ao 4 declara de forma bastante contundente que a afiliação de Cristo se dá como Filho de Deus ao ser santificado pelo Espirito Santo e sua posição de Senhor e Salvador ao ser Ressuscitado dentre os mortos.


Conclusão:


Toda a narrativa do testemunho de Jesus Cristo é declarar que ele é o CRISTO o MESSIAS PROMETIDO, não evoca uma deidade ou anterioridade existencial como Ser ao lado do Pai. Mesmo porque o termo enviado de Deus ou saído de Deus quer indicar VIM EM NOME daquele Deus Unico, esta era a promessa de que o Cristo falaria as palavras de Deus diretamente a todos e revelaria toda plenitude da vontade do Pai Celestial. Moises falou de um profeta semelhante a ele que neste profeta estaria a palavra de DEUS ( Logos). Moises mesmo declarou:

Deuteronômio 18:15
O Senhor teu Deus te suscitará do meio de ti, dentre teus irmãos, um profeta semelhante a mim; a ele ouvirás;
16 conforme tudo o que pediste ao Senhor teu Deus em Horebe, no dia da assembléia, dizendo: Não ouvirei mais a voz do Senhor meu Deus, nem mais verei este grande fogo, para que não morra.
17 Então o Senhor me disse: Falaram bem naquilo que disseram.
18
Do meio de seus irmãos lhes suscitarei um profeta semelhante a ti; e porei as minhas PALAVRAS EM SUA BOCA, e ele lhes falará tudo o que eu lhe ordenar.
19
E de qualquer que não ouvir as minhas palavras, que ele falar EM MEU NOME, eu exigirei contas.

Neste contexto o verbo ( logos ) se fez carne e habitou no nosso meio. Isso significa que a mesma palavra que estava na BOCA DO UNICO e ETERNO Deus no princípio estaria na Boca do MESSIAS no meio de nós. Neste sentido Jesus pre existiu nos planos do Eterno Deus, Aquele enviado EM SEU NOME , gerado (gennesis) no Ventre de Maria na Plenitude dos tempos para cumprir todo Conselho de Deus e Sua Soberana vontade anunciada desde o principio, pois nisto diz que as saídas do Messias vem desde a Eternidade, o Cordeiro que foi morto ainda antes da fundação do Mundo. ( Miqueias 5:1, Apocalipse 13:12 );

A palavra de Deus estava em Jesus ou veio através dele e não que ele era uma palavra no sentido de pessoa que encarnou-se como vieram a interpretar a partir do concílio de Niceia (325DC) a discussão inicialmente teorizada por Bispos de Alexandria! ( Veja Atos 10:36)

Atenciosamente.


Irmão Flavio Schmidt;

11 comentários:

  1. diante desta belissima explanação e que eu concordo plenamente, fica apenas uma pergunta que penso ser crucial: quem ou o que era o diabo de joão 8:44 (não citado por você no estudo), de quem o Mestre disse serem filhos os judeus de seu tempo? fico no aguardo da resposta humildemente!

    Marcelo Valle

    ResponderExcluir
  2. Meu querido amigo,a ideia deste estudo ficou um pouco distorcida. Você disse que Jesus não quis dizer sobre uma preexistência, e em sua conclusão você citou partes de João 1,Nada do que foi feito, foi feito sem ele, logo Jesus estava na criação do mundo, não é preexistência, é ETERNIDADE(sem Inicio e sem fim, sempre existiu!), "o verbo se fez carne" acho que não deixa duvidas, acredito que o problema seja com o termo "encarnação", que eu também fico receoso para dizer, mas em uma limitadissima compreensão das coisa de Deus, penso que não existe um termo mais adequado ! A paz do nosso Senhor seja contigo :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maycon

      Solicito você ler nosso artigo sobre João 1:1 que se encontra no Blog (http://evangelistaflavio.blogspot.com.br/2011/04/joao-175-and-now-father-glorify-me-in.html). Ele esclarece que o Logos é a palavra de Deus que criou todas as coisas e não um ser ao lado do Pai.
      Leia salmos 33:4-8. O espirito que sai da boca de Deus fez todas as coisas, algumas versões traduzem o hálito da boca de Deus. Ceus e terra foram criados pela palavra de Deus e Jesus embora existia nos planos de Deus ( I Pedro 1:20) somente na plenitude dos tempos foi manifestado.

      Excluir
  3. Irmão Flávio, tudo bem, meu nome é José William, gostei do estudo feito pelo Senhor. A outra corrente que acredita que Jesus foi gerado por Deus, antes do inicio dos tempos. tambám tem provas conclusivas bíblicas para afirmar sua doutrina, porém eu principiante neste estudo tenho outra ideia e queria saber a opinião do Irmão, essa minha ideia não é que eu acredite com unhas e dentes, mas é bom, apreciá-la.
    Deus é todo poderoso, ele pode fazer o que quiser e não dar satisfação o poruqe fez ou deixou de fazer certo. Ele é Justo e Longânimo também, Sendo Deus e Jesus Espírito, considerando que Jesus foi gerado antes dos tempos,poderia Deus ter concebido no ventre de Maria , Jesus, assumindo assim Jesus a natureza humana. Pensando assim não teria de aceita a doutrina da encarnação e também a sua existência após o seu nascimento na forma humana.
    As duas teorias doutrinárias são plausíveis, porém tem extremos intrigantes, se for analisado de maneira simples, no meu ponto de vista fica bem mais simples a explicação
    O que o Senhor me diz?
    e-mail jwlc@bol.com.br
    Fi

    ResponderExcluir
  4. Como um leigo e observador de inúmeras correntes, cujos teores são na base do "puxar a brasa para sua sardinha", melhor dizendo, cada uma dessas correntes defendendo suas interpretação, claro está que o conteúdo bíblico se presta às mais variadas concepções. Assim, dependendo do ponto de vista, e do que se admite como o correto, surgem gamas enormes de interpretações, todas levando para o "somente eu que estou certo". Todos que apresentam suas versões sobre os assuntos bíblico têm em comum esse ideal: apresentar sua forma infalível de que é esta a correta, a única verdadeira acerca do contexto que defende.
    Ante o universo de concepções, este leigo fica perplexo perante citações como esta, parafraseada: Jesus Cristo morreu antes da fundação do mundo".
    Mais! Como ficam os leitores e seguidores de um mundo de interpretações, a maioria, que desvirtuam-se do contexto exato?
    Realmente, se no tempo dos apóstolos as correntes paralelas ao evangelho já apresentavam propostas adversas, quanto mais em nossos dias, quando o fator religioso transformou-se em um mar de confusões.
    Será que paramos para analisar, se nossa forma de entender o recado divino realmente é o que o povo carente precisa? Será que na intelectualidade de nossas manifestações, literárias ou não, estaria o caráter do serviço prestado a alguém sendo beneficiado com a palavra que conduziria o pecador ao regaço do Eterno?
    Muito mesmo complexos nossos dias! Muito mais que no tempo das filosofias estoicas, do gnosticismo e do judaísmo que um Paulo teve que enfrentar. Enquanto esse processo perverso tem lugar, a mensagem que leva o pecador ao pés do Senhor fica obscura. É como um certo ramo eclesiástico, em que as figuras paralelas suplantam o teor divino. Com isto vão-se às cisternas rotas, enquanto direcionam fervores à criação em detrimento do Criador.

    ResponderExcluir
  5. OUTRO EVANGELHO
    Porque, se alguém vem e vos prega outro Jesus que nós não temos pregado, ou se recebeis outro espírito que não recebestes, ou outro evangelho que não abraçastes, de boa mente o suportais!
    2 Coríntios 11.4
    Estou admirado de que tão depressa estejais desertando daquele que vos chamou na graça de Cristo, para outro evangelho,
    Gálatas 1.6
    Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos pregasse outro evangelho além do que já vos pregamos, seja anátema. (MALDITO)
    Gálatas 1.8
    Como antes temos dito, assim agora novamente o digo: Se alguém vos pregar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema. (MALDITO)
    Gálatas 1.9-
    Mas será que o outro evangelho já esta no meio dos cincerros servo do eterno

    ResponderExcluir
  6. o irmão não quer camvesa comigo tudo pem fica na paz

    ResponderExcluir
  7. Interpretação absolutamente parcial e equivocada, chega a ser infantil. Que Deus tenha misericórdia desses fariseus da era moderna, que não reconhecem o que a Bíblia verdadeiramente ensina sobre Jesus. Mas se Jesus era apedrejado na época por afirmar ser Deus, porque hoje, passados 2000 anos, seria diferente?

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

  10. Conclusão:

    Toda a narrativa do testemunho de Jesus Cristo é declarar que ele é o CRISTO o MESSIAS PROMETIDO, não evoca uma deidade ou anterioridade existencial como Ser ao lado do Pai.


    Em João 17:5 não é preciso fazer um estudo minucioso ou lançar mão de rebuscados recursos literários para se entender que Jesus Cristo existe antes de todas as coisas.
    "E, agora, glorifica-me Tu, ó Pai, junto de Ti mesmo COM AQUELA GLÓRIA QUE TINHA CONTIGO ANTES QUE O MUNDO EXISTISSE".

    ResponderExcluir